Trabalhar na "quadra estranha"

206 norte: Babilônia

O trabalho com o texto requer muita atenção e concentração. Por isso, a rotina de leitura tem suas pausas muito bem-vindas para o descanso. Aqui na 206 norte, uma quadra que eu sempre julguei “estranha” (e sei que não estou só), esse descanso não é protocolar.

Não se trata só de esticar as pernas ou de espairecer um pouco para retomar o trabalho com mais concentração. Na 206 norte dá para tomar um café coado a um real, se isso for do seu agrado. Dá para visitar uns gatinhos para adoção ou tentar fazer amizade com os gatos livres e vividos que são os donos da rua. Dá para avistar, de vez em quando, um ensaio fotográfico ou outra movimentação inusitada do outro lado da rua, nas galerias de arte. Também dá para esticar o dia de trabalho e não pegar fila nos food trucks da quadra.

Mas o melhor é poder abrir a porta e ter acesso a um belo terraço ensolarado nesses dias frios. É a pausa perfeita antes de voltar à concentração total que o trabalho pede. Enfim, é bom descobrir que aqui não tem nada de estranho, era só o meu jeito de olhar.