Estratégias de naming

Caderno, livro, comunicação, conversa, amora consultoria linguística

O nome é um dos elementos mais estáveis de uma marca, empresa ou produto. Essa observação é bastante comum entre especialistas em naming e mostra a importância de se pensar em cada passo desse processo. Idealmente, o nome da sua marca deve perdurar e, por isso, tanto tempo é dedicado a encontrar um bom nome. Mas, afinal, o que é um bom nome?

Um bom nome é viável

Em outras palavras, um bom nome é aquele que você pode registrar. É chato dizer isso, porque pode parecer um balde de água fria, mas é de extrema importância manter expectativas realistas sobre quais nomes são potencialmente registráveis e quais não passarão.

Um bom nome é motivado

Isso quer dizer que um bom nome não é acidental e nem fruto do acaso.* Ele funciona porque foi pensado e talhado cuidadosamente para determinado negócio, segmento, marca ou produto. Um bom nome é intencional, não só no nível conceitual, mas também no seu nível mais concreto. Se você adiciona um diacrítico diferente, grafa uma palavra com uma letra pouco usual no alfabeto da sua língua ou opta por duplicar consoantes… isso deve ter um porquê.

Um bom nome funciona na prática

Basicamente, um bom nome deve funcionar em todas as suas ocorrências, isto é, na escrita e na fala. Ele deve ser pronunciável, inteligível e não deve dar vazão a associações infelizes, acidentes gráficos (ilusões visuais que fazem uma palavra ser lida como outra, por exemplo), humor involuntário ou cacofonia. Pense que o nome possivelmente vai aparecer na forma impressa ou digital, abreviada, ao lado de outras palavras, da tagline… enfim! Prever e testar a ocorrência do nome em diferentes ambientes é uma forma de ver como ele se comporta na prática.

Isso faz parte do que chamamos de estratégias em naming. Mas elas não são as únicas! E claro que um bom nome também ganha vida própria e interage com outros elementos (visuais e verbais) que compõem o universo de uma marca. Ele cresce e se conecta sem esforço à sua história para se tornar ideal, ótimo, incrível.

_______________________________

* Leitores atentos podem se perguntar a respeito de nomes como Apple ou Amazon, que batizam duas das maiores empresas do mundo. Dados por seu criadores e escolhidos com base em associações que estes fizeram, esses nomes nem de longe são acidentais ou aleatórios. Apple foi o nome escolhido por Steve Jobs por soar “divertido, espirituoso e não intimidador”. Já Amazon foi o nome escolhido por Jeff Bezos por remeter à grandiosidade do rio Amazonas. Seja como for, muitas marcas de sucesso não foram batizadas por seus criadores, mas sim por times de especialistas em léxico e criativos, como Blackberry, Pentium, entre outras.