Linguística e Matemática lado a lado (mais uma vez)

Livro, caderno, amora consultoria linguística

Um princípio básico explorado na línguística é o princípio da composicionalidade. Presente em estudos de semântica formal, esse princípio diz que o significado de uma sentença é determinado pelas partes que a compõem.

Com base em Frege, a ideia é a de que toda composição semântica é a combinação de uma função e um argumento. Por exemplo, o verbo sorrir é um predicado. Podemos entendê-lo como uma 'relação' ou um elemento incompleto (que precisa de uma entidade para torná-lo completo). Nesse caso, a pessoa que sorri (hipoteticamente, César). Temos, então, a seguinte representação: λx[SORRIR(x)] (César) = SORRIR (César).

Em prosa: o verbo sorrir é uma função que se aplica a uma entidade e resulta em uma sentença com valor de verdade, "César sorri". Nela, a entidade César satura ou completa o verbo sorrir. Há outras regras possíveis de composição semântica (ver Heim & Kratzer), princípios gerais a serem obedecidos, além da discussão de que a composição semântica andaria de mãos dadas com a sintaxe... mas, por aqui, vamos ficar apenas com mais um exemplo simples (veja o outro exemplo aqui) de como Linguística e a Matemática andam lado a lado.